quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

01/03/2013 - 00:18

01/03/2013 - 00:18 Militar que ajudou WikiLeaks admite ter vazado documentosO soldado Bradley Manning revelou pela primeira vez esta quinta-feira os motivos que o levaram a realizar um dos maiores vazamentos de documentos da história dos Estados Unidos: gerar um debate público sobre o comportamento de seu país nas guerras do Iraque e do Afeganistão. Durante mais de uma hora, o ex-analista de inteligência de 25 anos leu uma declaração escrita na prisão, na qual explicou porque se tornou o 'espião' do WikiLeaks, transmitindo entre novembro de 2009 e maio de 2010 ao site de Julian Assange documentos militares secretos sobre as guerras no Iraque e no Afeganistão, bem como 260 mil despachos diplomáticos do Departamento de Estado. 'Pensava que a publicação (dos documentos) poderia provocar um debate público sobre nossa política externa e a guerra em geral', disse Manning à juíza Denise Lind, durante uma audiência preliminar ao seu processo em Fort Meade (Maryland, leste), que deve começar em junho. Além disso, anunciou a intenção de se declarar culpado de 10 das 22 acusações que a Justiça militar americana lhe atribuem, embora se considere inocente das acusações mais graves, entre elas, 'conluio com o inimigo', pela qual pode ser condenado à prisão perpétua. Durante seu depoimento, Manning se descreveu como um soldado jovem, apaixonado pela geopolítica e pelas tecnologias da informação, que aos 20 anos entrou no exército para ter 'uma experiência do mundo tal como é' e para conseguir uma bolsa universitária. Mas, diante das realidades do conflito, afirmou ter se sentido enojado, pouco a pouco, de trabalhar em um exército que 'não dava valor à vida humana'. 'Sede de sangue' 'Quando mais tentava fazer corretamente o meu trabalho, mais me afastava dos meus colegas', afirmou. O massacre de civis com um helicóptero no Iraque, em 2007, lhe demonstrou que nas forças armadas americanas havia uma 'singular sede de sangue'. 'Éramos obcecados em capturar ou eliminar alvos humanos', afirmou. Embora fosse um simples soldado raso, sua condição de analista de sistemas lhe permitia ter acesso a múltiplas bases de dados protegidas, assim como a milhares de funcionários do governo e do setor privado que trabalhavam para os militares. Duas dessas bases eram as Sigacts, que compilam incidentes diários no Iraque e no Afeganistão e descrevem cada confronto armado com a participação de pessoal americano e explosões de minas artesanais. Segundo Manning, os dados contidos nestas bases deixam de ser confidenciais dois ou três dias depois de cada incidente, em função de que se considera que a unidade militar que o protagonizou 'não se encontra mais no local do fato ou não corre mais perigo'. 'Para mim, estes documentos representam a verdadeira realidade da guerra no Iraque e no Afeganistão', afirmou, assegurando que embora fosse verdade que o vazamento poderia 'incomodar' os Estados Unidos, não podia de forma alguma 'prejudicá-lo'. 'Só me interessei por aqueles documentos dos quais tinha total segurança de que não iam causar prejuízo' à segurança do país, alegou o jovem. Manning assumiu, ainda, toda a responsabilidade pela difusão da documentação secreta e negou ter sido pressionado por alguém. 'Eu tomei minhas próprias decisões',

01/03/2013 - 00:40

01/03/2013 - 00:40 TV paga cresce 1,93% em janeiro ante dezembroO segmento de TV paga no Brasil cresceu 1,93 por cento em janeiro sobre o mês anterior, com o acréscimo de 312,2 mil novas conexões, informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta quinta-feira. No total, o setor fechou janeiro com 16,5 milhões de assinaturas. Se considerados os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 3,2 pessoas por domicílio, em janeiro cerca de 53 milhões de pessoas, ou 27 por cento da população brasileira, tinham acesso ao serviço de TV paga. As operações combinadas de Net e Embratel, empresas do grupo mexicano América Móvil, totalizavam 8,64 milhões de assinaturas em janeiro, 144 mil a mais que no mês anterior. Já o grupo Sky/DirecTV cresceu sua base em 106 mil assinantes sobre o último mês de 2012, para 5,14 milhões de conexões. A Oi consolidou-se no terceiro lugar em janeiro, com crescimento de quase 6 por cento de sua base de assinantes, que chegou a 792 mil conexões. Já a Telefônica teve uma perda líquida de clientes, e encerrou o primeiro mês de 2013 com 568 mil acessos, recuo de 1,5 por cento sobre dezembro. A GVT, do grupo francês de mídia e telecomunicações Vivendi, cresceu em 26 mil acessos, para 451 mil no mês passado.

01/03/2013 - 01:03

01/03/2013 - 01:03 Adolescente morre depois de fazer escova pUma adolescente de 13 anos morreu depois de uma parada cardiorrespiratória na cidade de Estância, em Sergipe, na última terça-feira (26). A família da garota informou que ela fez uma escova progressiva no cabelo, com uso da substância formol, no mesmo dia em que morreu. Ela foi levada ao hospital pelo Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência). Ela foi atendida na Fundação Hospitalar de Sergipe. A unidade informou que os médicos tentaram reanimar a menina por quase uma hora. O IML (Instituto Médico Legal) informou que um laudo com as causas da morte deve ser emitido em 15 dias. Alguns órgãos foram encaminhados para exames patológico e toxicológico. O corpo da adolescente foi sepultado na quarta-feira (27). Milhares de pessoas acompanharam o cortejo e a companhia de trânsito precisou ajudar a organizar o trajeto.rogressiva em Sergipe

01/03/2013 - 01:39

01/03/2013 - 01:39 Aos 12 anos, filho de Ronaldo será lutador de MMACom apenas 12 anos, Ronald Lima já tem várias opções de carreira. Depois de atacar de DJ e de modelo, o filho do Ronaldo Fenômeno agora será lutador de MMA. Ronald ganhou apoio da marca de equipamentos e roupas de luta Naja Extreme e será apresentado como parte da equipe ainda nesta semana. O gosto pelo MMA vem de família, já que Ronaldo Fenômeno é fã da modalidade e cuida da carreira do superastro Anderson Silva. O gato, que também já atacou de modelo, não competirá no MMA ainda por ser muito jovem. Por enquanto, o filho do Fenômeno lutará nas categorias de base de outras artes marciais, como jiu-jitsu e muay thai. Na noite desta quinta-feira (28), Ronald assinará o contrato com a empresa em evento que contará com a imprensa.

01/03/2013 - 02:08

01/03/2013 - 02:08 'Google Glass pode reverter vício de smartpA Google tem planos ambiciosos para o Google Glass, seus óculos inteligentes. Para o cofundador da companhia, Sergey Brin, que participou do TED, na Califórnia, na última quinta-feira, a nova ferramenta pode reverter o vício da sociedade atual sobre os smartphones. Em relato sobre a palestra de Brin nos Estados Unidos, o site Wired, revelou que o cofundador do Google fez diversos elogios aos seus novos óculos e ressaltou que ultimamente as pessoas estão se excluindo socialmente com o uso dos smartphones, o que pode ser mudado com a chegada do Google Glass. "Atualmente, você está se isolando com seu telefone. Está somente lá passando a mão em um pedaço de vidro. O Glass muda isso. Ele abriu meus olhos para quanto tempo gastei em e-mails ou posts em redes sociais. Minha visão quando começamos o Google, há 15 anos, era de que a informação deveria vir até você quando você precisasse. E esta é a primeira forma em que podemos fazer isso", disse Brin durante a conferência. O novo dispositivo desenvolvido pela Google será disponibilizado aos desenvolvedores ainda este ano. Entretanto, o público só poderá experimentar o Glass a partir do início de 2014 e se estiver disposto a desembolsar uma boa quantia por ele, o equivalente a R$ 3 mil para ter uma enorme variedade de possibilidades diante dos olhos.hones', diz cofundador da Google

Desembargador e ex-juíza da comarca de Porto Alegre recebem moção de aplauso da OAB

Fonte: Agência da Notícia com Redação A Ordem dos Advogados do Brasil subseção do Norte Araguaia concedeu ao Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Mato Grosso, Rubens de Oliveira Santos Filho uma moção de aplauso pela construção do Fórum de Porto Alegre do Norte e modernização, transparência e principalmente pela ótima convivência criada entre TJMT e os advogados. Quem também foi agraciada com uma moção de aplauso da OAB do Norte Araguaia é a juíza Cristiane Padin que atuava na comarca de Porto Alegre do Norte e atualmente está na Comarca de Juína, ela recebeu a moção de aplauso pela conquista da construção do Fórum do município e pelos relevantes trabalhos prestados a comunidade local. “Hoje estamos reconhecendo o importante trabalho dessas duas pessoas para a nossa região, a exemplo disso é a construção do Fórum de Porto Alegre do Norte que vem beneficiar toda uma região e melhorar ainda mais o aparelhamento da justiça do Estado de Mato Grosso, por isso concedemos essa moção de aplausos”, disse o delegado da OAB em Porto Alegre do Norte, Dr. Mauri Martins. Veja abaixo matéria completa sobre a inauguração do prédio do Fórum de Porto Alegre do Norte:

Primavera do Leste será destaque no Globo Repórter como uma das melhores cidades para se viver no Brasil

Primavera do Leste será destaque no Globo Repórter como uma das melhores cidades para se viver Fonte: Agência da Notícia com Meire Dias O programa Globo Repórter, da Rede Globo de televisão, que é exibido semanalmente com matérias de assuntos bem específicos, abordará nesta sexta-feira, dia 01 de março, a qualidade de vida no interior do país. A ideia é mostrar cidades que embora não sejam tão conhecidas, são “jóias” no interior do Brasil, pois, proporcionam boa qualidade de vida aos moradores. A oportunidade de Primavera do Leste fazer parte do reduzido número de cidades brasileiras e, ser a única de Mato Grosso a participar desta edição do programa, deu-se através do contato da TV Centro América, de Cuiabá, com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura Municipal. Depois de aprovado, pela emissora, o material enviado para a defesa da cidade, iniciou-se a construção do roteiro e a alimentação de toda informação sobre Primavera, bem como sugestões de personagens. A satisfação dos produtores permitiu a vinda da equipe, que ficou por uma semana em Primavera, fazendo filmagens e colhendo entrevistas. Uma das peculiaridades que devem ser mostradas no Programa é o encontro na praça, nas tardes de domingo. Evento que, regado à pipoca e chimarrão, proporciona a integração das pessoas e revela uma tranquilidade que só cidades do interior têm e, Primavera do Leste preserva isso, apesar de ser um polo em franco desenvolvimento. A oportunidade de uma vida melhor que o esporte, neste caso, a canoagem, traz para os atletas, também deve ser abordada no Brasil

Soldado admite vazamento para WikiLeaks

Em depoimento militar, Bradley Manning assume ter entregado ao site centenas de milhares de telegramas sigilosos Ex-analista pode ser condenado a 20 anos pelo que já confessou; preso desde 2010, ele diz sofrer maus-tratos LUCIANA COELHODE WASHINGTON O recruta Bradley Manning, 25, admitiu ontem a um tribunal militar que entregou centenas de milhares de telegramas militares e diplomáticos sigilosos ao site WikiLeaks, que os expôs na internet em 2010 e causou constrangimento ao governo dos EUA. Ao declarar-se culpado de dez delitos menores referentes à má administração de material sigiloso, ele afirmou que queria "fazer do mundo um lugar melhor" e detonar um debate sobre diplomacia -o que acabou conseguindo. "Acreditei que se o público em geral, sobretudo o americano, tivesse acesso à informação, isso poderia dar início a um debate doméstico sobre o papel dos militares e da política externa", disse em depoimento lido ao tribunal. "Ninguém na organização WikiLeaks pressionou pelo envio de informações. Assumo responsabilidade total." Pelos delitos que confessou, o ex-analista militar no Iraque pode ser condenado a 20 anos de prisão. O processo, porém, inclui acusações mais graves, como espionagem e auxílio ao inimigo. Segundo Manning, ele primeiro tentou contatar o jornal "Washington Post" em janeiro de 2010 para publicar o material, mas avaliou que o repórter contatado estava desinteressado. Depois, deixou uma mensagem de voz ao ombudsman do "New York Times", que não o procurou. Acabou optando pelo WikiLeaks, um site de ativismo que já divulgara filmagens sigilosas de operações americanas no Iraque, e enviou os primeiros arquivos do café de uma livraria em Maryland. Manning, um rapaz franzino para o padrão militar e que aparenta menos idade, foi preso em maio de 2010 e acusa seus detentores de mantê-lo confinado em solitária, vítima de maus-tratos. Está sendo julgado há um ano por corte marcial em Fort Meade, no Estado de Maryland. Seu caso atraiu a atenção da mídia nacional e internacional, e seu nome passou a ser celebrado por ativistas como uma espécie de herói da liberdade de informação. Embora os telegramas diplomáticos que entregou ao WikiLeaks não tenham revelado segredos de Estado, o vazamento é tratado como o maior da história dos EUA e deixou diplomatas americanos -e do mundo todo- em saias justas ante a revelação de procedimentos e conversas em linguagem franca. O WikiLeaks começou a publicar os documentos em fevereiro de 2010, primeiro em parceria com jornais de vários países, incluindo a Folha. O site, que teve suas finanças estranguladas por medidas americanas, é coordenado por Julian Assange, hoje asilado pelo Equador para escapar de um mandado de prisão sueco referente a acusações de agressão sexual que emergiram quando o escândalo do vazamento crescia.

Os ricos estão mais vulneráveis

Os ricos estão mais vulneráveis Situação dos ricos e dos responsáveis por grandes empresas já não é tão cômoda quanto era antes Sabemos que a crise econômica está gerando muita pobreza. E que a desigualdade econômica se aprofundou em muitos países. Estas realidades, contudo, ocultam outra tendência mundial importante: as grandes empresas e seus diretores estão perdendo poder. Isso é difícil de acreditar, em tempos de tanta e tão justificada indignação diante de uma crise provocada principalmente por empresários irresponsáveis ou desonestos. Obviamente, as elites econômicas mundiais continuam em muito boa situação. Mas é um erro supor que não estejam ocorrendo transformações profundas nos altos níveis do poder empresarial. De acordo com Emmanuel Sáez, da Universidade da Califórnia, as pessoas que formam o 1% de renda mais alta nos Estados Unidos perderam 36% de sua receita em decorrência da crise, enquanto os outros 99% perderam 11,6%. Em 2012, 441 das 1.000 pessoas mais ricas do mundo que constam na lista da "Forbes" sofreram uma perda de patrimônio. É evidente que uma perda de 11% na renda de uma família que a duras penas consegue chegar ao fim do mês é uma catástrofe, enquanto a perda de um terço da renda de quem ganha mais não o é. Mas o fato é que hoje os ricos estão em situação menos segura que antes. E não apenas no que diz respeito à sua renda -seus empregos agora também estão menos seguros. A permanência de um alto diretor em seu cargo, nos Estados Unidos, caiu pela metade desde os anos 1990 -de dez para cinco anos. Em 2011, 14% dos responsáveis máximos das 2.500 maiores empresas do mundo deixaram seus cargos involuntariamente. A mesma coisa se dá com as próprias empresas. Um estudo de Diego Comin e Thomas Philippon mostrou que, em 1980, uma empresa dos EUA que estivesse entre as 20% superiores de seu setor apresentava risco de apenas 10% de ficar fora desse nível nos cinco anos subsequentes. Duas décadas depois, essa probabilidade chegou a 25%. Outro risco que vem aumentando muito para as grandes empresas e seus diretores é o de sofrer um acidente que arruíne sua reputação. Uma pesquisa da Oxford Metrica constatou que as empresas que são donas das marcas mais famosas do mundo têm, num período de cinco anos, 82% de probabilidade de sofrerem um acidente que reduza drasticamente o valor de sua marca. Duas décadas atrás, essa probabilidade era de apenas 20%. O que tudo isso significa? Não quer dizer que o poder econômico esteja desaparecendo nem muito menos que sua capacidade de influir sobre políticos e governantes esteja se reduzindo. Significa, sim, que a situação dos mais ricos e dos responsáveis pelas grandes empresas já não é tão cômoda, segura e permanente quanto era antes. Como muitos outros tipos de poder (político, militar, religioso, cultural), o econômico agora é mais fácil de conquistar, mas mais difícil de exercer e mais fácil de perder. E essa é uma boa notícia. @

Rio de Janeiro inaugura

Rio de Janeiro inaugura museu na zona portuária É a primeira obra a ficar pronta dentro de projeto de revitalização. Além do acervo permanente, o MAR receberá diversa Nesta sexta-feira (1º), dia em que o Rio de Janeiro completa 448 anos, a cidade inaugura o MAR, Museu de Arte do Rio. É a primeira obra a ficar pronta dentro do projeto de revitalização da zona portuária. Além do acervo permanente, o MAR receberá diversas coleções. Em séculos de transformação, a paisagem da zona portuária do Rio de Janeiro foi ganhando novos traços. Agora, uma revitalização desenha mais mudanças, e uma das principais é o MAR, Museu de Arte do Rio. O projeto uniu o antigo prédio da Alfândega a uma estrutura arquitetônica ousada. São 15 mil metros quadrados. Na cobertura, fica a marca mais famosa da cidade, as ondas do mar, ondulações que pesam 800 toneladas. “A produção dessa onda na engenharia foi uma coisa super desafiadora, uma coisa que, há cinco anos, acho que não seria possível”, afirma o arquiteto Bernardo Jacobsen. Pelas oito salas de exposições, obras históricas como as de Nicolau Facchinetti e Émile Taunay. O museu, uma realização da prefeitura e da Fundação Roberto Marinho, ainda abriga a Escola do Olhar, onde alunos e professores da rede pública vão conviver com a arte e a história que os artistas testemunharam. “A atividade de funcionamento e das exposições do museu sempre vai ter uma abordagem educativa.”, afirma Luís Fernando de Almeida, diretor executivo do MAR. Entre artistas, colecionadores e marchands, não é raro constatar como é difícil se desfazer de uma obra, deixar que tenha um novo proprietário, que siga outros caminhos. A criação deste museu, porém, entusiasmou muitos doadores. Jones Bergamim se encantou com o novo museu e não resistiu: doou 20 obras, como paisagens, personagens da cidade e a moça. O valor de cada uma? Não é o mais importante. “A doação é uma maneira mais nobre que você tem de se desfazer de coisas que você coleciona e tem amor”, diz. Adriana Varejão já expôs mundo afora. Seu trabalho é mais que reconhecido. A artista plástica também decidiu mandar um de seus quadros para o acervo do novo museu. “Dá satisfação para qualquer artista fazer parte de um acervo de museu, porque é a garantia de que essa obra vai ter um eco no futuro. Vai fazer parte da memória, da construção da memória cultural daquele momento, daquela época”, afirma. Esses salões, no entanto, não exibem só grandes obras de artistas famosos. Muitas peças foram encontradas pelos curadores em sites na internet, postas à venda por pequenos colecionadores. “De repente, aparece na internet alguém da ilha de Fiji oferecendo para vender uma moeda onde o carnaval do Rio é o tema. O outro oferece uma fotografia do século XIX que foi o bisavô que passou pelo Rio e comprou. A imagem do MAR também é uma navegação pela internet em busca de bens simbólicos”, diz Paulo Herkenhoff, curador do MAR. Foi assim que esses registros foram parar no museu: um certificado de ações da Companhia do Porto do Rio e o comprovante dos dividendos de mil 1912, rótulos de malas e cargas desembarcadas dos navios e revistas que marcaram época. Além de abrigar a história, o Museu de Arte do Rio quer ser um receptor das manifestações culturais, sejam elas dos grandes mestres ou dos artistas populares. “O nosso museu é para as pessoas chegarem como elas são. Nós acreditamos que cada visitante tem um olhar que nós queremos para o museu”, explica Herkenhoff.

Lançamentos de apartamentos de até 40m² aumentam em São Paulo

Lançamentos de apartamentos de até 40m² aumentam em São Paulo Aperto é compensado por lavanderia, lan house, sala de ginástica e piscina. No ano passado, houve alta de 700% nos lançamentos em relaçNo lugar de paredes, há divisórias de vidro, transparentes, e muito espelho. A ideia é não fragmentar o espaço e ampliar o ambiente. Cada detalhe foi pensado, cada móvel, planejado, para o morador viver confortavelmente em uma área de apenas 31 metros quadrados. A construtora estudou a arquitetura de cabines de avião e de barco e adaptou a distribuição de espaço, para aproveitar melhor cada centímetro. O apartamento, em um bairro de classe média de São Paulo, custa R$ 250 mil. A cozinha do apartamento decorado para o stand de vendas é embutida e divide espaço com os livros. O banheiro é transparente e a pia, no formato de um tambor, fica do lado de fora. Cada nicho vira um compartimento. Chamados de compactos ou de micro-apartamentos, os imóveis com até 40 metros quadrados surgiram depois da forte alta do mercado imobiliário. Para reduzir o preço, as construtoras diminuíram o tamanho. Com mais unidades, também encolheu o valor do condomínio. O aperto é compensado por lavanderia coletiva, lan house, sala de ginástica e piscina. Quem quiser serviços como uma aula de hidroginástica paga separado. “Nós desenvolvemos o projeto para que ele se sinta num clube, desde uma academia completa, com todas as opções de lazer”, afirma Marcelo Moralles, diretor de desenvolvimento. Em 2009, foram 503 lançamentos com apartamentos de até 40 metros quadrados na região metropolitana de São Paulo. No ano passado, o número chegou a 4.034, uma alta de 700%.“É uma tendência, eu diria, mundial. As grandes metrópoles tendem a ser cidades compactas, ou seja, as pessoas querem morar próximas do trabalho, próximas do metrô, da faculdade e com pouco espaço”, afirma Alexandre Frankel, diretor de incorporadora. Solteiro, jovem, o gerente de vendas Cleone Garcia tem o perfil de um típico morador dos apartamentos compactos, onde mora há um ano. Sabe que não dá para acumular muitas coisas, mas pensa no benefício de morar em um espaço menor, mas com uma boa localização. “Tenho tudo muito perto, no meu próprio condomínio mesmo. Atende todas as minhas necessidades, desde restaurante até academia, tudo”

Debates sobre Código Penal começam com duras críticas

Debates sobre Código Penal começam com duras críticas Elaborado por 15 especialistas, projeto foi entregue em junho de 2012. Comissão especial que examina reforma fará reuniões mensais atNo primeiro debate na Comissão do Senado, o projeto de reforma do Código Penal recebeu duras críticas do criminalista e ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior. “Este projeto apresenta impropriedades de tamanha grandeza que pode se constituir inclusive em um objeto de uma vergonha internacional”, diz. Elaborado por 15 especialistas, o projeto foi entregue em junho de 2012 ao Senado. No documento, os juristas sugerem a eliminação de alguns delitos, a criação de crimes ainda não previstos e a revisão de temas considerados polêmicos. Por exemplo, hoje, o aborto é crime, punido com até quatro anos de prisão, exceto em casos de estupro ou de risco de vida para a mãe. Pelo projeto, o aborto continuaria proibido, com pena menor, de até dois anos, mas seria admitido em mais casos. O procurador da República, Luís Carlos Gonçalves, que coordenou o trabalho dos especialistas que elaboraram a proposta, rebateu as criticas de Reale. “Nós trabalhamos abnegadamente e intensamente e, portanto, não merecemos observações desrespeitosas e desairosas feitas pelo iminente professor Miguel Reale em seguidas entrevistas”, afirma. A comissão especial que examina a reforma do Código Penal fará reuniões mensais em Brasília e nos estados até julho. Segundo o relator da comissão, senador Pedro Taques (PDT-MT), o projeto deve estar pronto para ser votado no plenário do Senado até o fim deste ano. Depois, seguirá para a Câmara dos Deputados. é julho.

Projetos de produção de biogás no Brasil começam a funcionar

Projetos de produção de biogás no Brasil começam a funcionar Biogás seria suficiente para abastecer município do Rio de Janeiro. Existem hoje, no mundo, 1.483 usinas de biogás.Em boa parte do mundo, o problema do lixo se transformou em solução energética. Existem hoje 1.483 usinas térmicas que queimam resíduos para produzir energia. O Japão lidera o ranking com 800 oitocentas usinas, seguido do bloco europeu (452), China (100), e Estados Unidos (86). No Brasil, há apenas um protótipo com tecnologia 100% nacional operando no campus da Universidade Federal do Rio de Janeiro, na Ilha do Fundão. É a Usina Verde. A plena carga, uma usina como essa é capaz de produzir energia suficiente para abastecer 15 mil residências, mas o custo ainda é elevado. Só o protótipo ficou em aproximadamente R$ 50 milhões. Mais do que produzir energia, o grande beneficio da Usina Verde é transformar lixo em cinzas. Para cada tonelada de resíduo que entra no forno, saem 120 kg de material carbonizado. É menos volume e menos peso. “Essas cinzas podem ser aproveitadas em calçamento ou base asfáltica para pavimentação de cidades, ou pode ir para aterros, ocupando 12% da área que seria ocupada normalmente com todos os resíduos sendo destinados”, diz Mário Amato Neto, presidente da Usina Verde. A outra forma de produzir energia a partir do lixo já começa a ganhar escala no Brasil. É o biogás. A parte orgânica do lixo, que é aquela composta principalmente de restos de comida, podas de árvore ou qualquer resíduo de origem animal ou vegetal, leva aproximadamente seis meses para se decompor e virar gás metano, um gás de efeito estufa, de fácil combustão. São Paulo foi a primeira cidade do Brasil a aproveitar o biogás como fonte de energia. Vinte e quatro geradores de alta potência queimam todo o gás do lixo. As máquinas transformam o biogás do aterro em energia elétrica suficiente para abastecer 35 mil domicílios da cidade de São Paulo. São dois aterros: juntos, o Bandeirantes e o São João respondem por mais de 2% de toda a energia elétrica consumida na maior cidade do país. A queima do biogás ainda gera receitas extras para o município. São os créditos de carbono. Até junho do ano passado, era o maior aterro de lixo da América Latina. A partir deste ano, Gramacho, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, passará a ser o único fornecedor de biogás do mundo para uma refinaria de petróleo (leia mais). É um negócio sem precedentes, que dará um destino mais nobre e lucrativo para milhões de metros cúbicos de gás. “Estamos estimando que isso vai gerar 70 milhões de m³ de metano quase que puros, que vão ser fornecidos à Reduc após processamento”, afirma Eduardo Levenhagen, diretor da Novo Gramacho e da Gás Verde. Até julho, o gás de lixo já estará sendo bombeado até a refinaria Para isso, foram instalados 300 pontos de captação. Do aterro, o biogás será levado até uma estação de tratamento para a retirada de impurezas. Dali, seguirá por um gasoduto de seis quilômetros de extensão até a refinaria Duque de Caxias. O volume de biogás bombeado a cada dia para a Reduc vai equivaler a 10% de todo o consumo da refinaria. Em um país que gera 182.728 toneladas de lixo por dia, dá para imaginar o que isso significa em termos de energia? Pelas contas do Ministério do Meio Ambiente, considerando os 56 maiores aterros do país, a estimativa é que o biogás acumulado seria suficiente para abastecer de energia elétrica uma população equivalente à do município do Rio de Janeiro. O cenário para 2020 aponta uma produção ainda maior de energia, suficiente para abastecer 8,8 milhões de pessoas, a população de Pernambuco. Nesta quinta-feira (28), a Associação Brasileira das Empresas de Limpeza Pública divulgou que a produção nos 22 aterros onde a captação de biogás é uma realidade já é suficiente para abastecer de energia 1,67 milhão de pessoas. Especialistas garantem que o biogás pode ser um bom negócio. “Pode ser rentável, mas tem que ser feito com muita cautela. O governo tem que fazer a parte dele também, investir em incentivos”, diz Cintia Philippi Salles, gerente de gestão e sustentabilidade da Arcadis Logos. Tanto o lixo urbano quanto os resíduos agrícolas têm potencial para turbinar a matriz energética brasileira. Para um país que tem fome de energia, não dá mais para abrir mão do que ainda insistimos em chamar de lixo.

Caminhoes com soja congestionam entrada do Porto de Santos

A prefeitura de Guarujá, no litoral de São Paulo, tenta organizar a entrada de caminhões rumo aos terminais da margem esquerda do Porto de Santos. Uma grande fila de caminhões se formou pelo local, e os caminhoneiros protestam para receber pelas horas paradas nos congestionamentos. O problema coincide com início do escoamento da safra de grãos (soja) pelo Porto, do lado de Guarujá. Os caminhoneiros reclamam que todo ano, e todo início de safra de grãos a cena se repete. Além das estradas lotadas de caminhões, os pátios das empresas portuárias também não dão conta do número de veículos que chegam para descarregar. Este ano, outro problema está transformando a vida dos moradores dos bairros próximos aos terminais da margem esquerda em um caos. Os caminhoneiros que deveriam descarregar em um dos maiores terminais de contêineres do país resolveram protestar por mais agilidade para entrar e sair do terminal. Os trabalhadores dizem que o tempo para descarregar é curto, e o maior problema é na hora de sair de lá, por isso, querem receber pelas horas paradas. "A estadia, o tempo que ele fica parado a disposição da empresa ele tem que receber porque é um direito constitucional. Várias reuniões, vários acordos foram feitos e a Santos Brasil não cumpre esses acordos", diz o presidente Sindicato Caminhoneiros JA Santos Brasil rebateu as críticas do presidente do sindicato. "Nós não possuímos nenhum tipo de vínculo comercial ou contratual com os caminhoneiros. Os caminhoneiros são contratados pelos importadores, exportadores e donos de cargas, e eles sim, discutem condições comerciais como valores de fretes, valores de estadias e outras condições", explica o diretor da Tecon Luiz Felipe Gouvêa. A empresa disse ainda que não manuseiam produtos a granel. "É importante que seja compreendido por todos que os produtos que são movimentados na Santos Brasil são exclusivamente transportados em contêineres. Nós não manuseamos produtos a granel, que são hoje a grande concentração de cargas na margem esquerda do porto de Santos", completa o diretor. Para tentar diminuir os problemas e evitar que os reflexos dos congestionamentos acabem penalizando demais a população, a prefeitura de Guarujá resolveu agir. Montou um bloqueio no único acesso à cidade dos caminhoneiros que chegam pela Rodovia Cônego Domênico Rangoni. "Só os terminais que tem capacidade dentro dos seus terminais para acomodar os caminhões estão recebendo os caminhões. Aqueles terminais que não têm não tem essa capacidade, os caminhões estão retornando em círculo pela rodovia até que eles providenciem espaço para receber os caminhões. Ou seja, recebem 50 caminhões, descarregam e depois recebem mais 50 caminhões", diz o diretor de Portos de Guarujá José Ribamar Brandão.osé Nilton de Oliveira.

Deliciosa Receita de Doce de abóbora Faça já!

Ingredientes . 1 kg de abóbora . 3 xícaras (chá) de açúcar . Canela em pau a gosto . Cravo a gosto Modo de preparo 1. Descasque e corte a abóbora em cubos grandes. 2. Em uma panela de pressão, coloque camadas de abóbora e açúcar. 3. Junte a canela e o cravo. Tampe e leve à geladeira por 24 horas. 4. Retire da geladeira, leve ao fogo e deixe cozinhar por 4 minutos, após o início da pressão. 5. Desligue o fogo, deixe sair totalmente a pressão. 6. Abra a panela, retire a abóbora e, se for preciso, deixe a calda no fogo até engrossar. 7. Em uma compoteira, coloque a abóbora e, por cima, a calda. Deixe esfriar e sirva. Dica: experimente servir o doce de abóbora com chantili. Tipo de prato: Sobremesa Preparo: Demorado (acima de 45 minutos) Rendimento: 8 porções Dificuldade: Fácil Categoria: Doce caseiro Calorias: 215 por porção

Bebê de 2 meses morre engasgado após ser amamentado em Valadares

Bebê de 2 meses morre engasgado após ser amamentado em Valadares Criança foi amamentada pela mãe durante a madrugada que depois dormiu. Pela manhã, quando o SAMU chegou ao local o bebê já Um bebê com dois meses de idade morreu ao se engasgar com o leite materno após a amamentação, em Governador Valadares, no Leste de Minas Gerais. A morte ocorreu na madrugada desta quinta-feira (28). O pai contou à polícia que a sua esposa amamentou o bebê durante a madrugada e depois dormiu. Ao acordar, por volta das 6h30, a mãe percebeu que a criança estava fria e sem reação. O pai percebeu uma secreção esbranquiçada em uma das narinas do bebê e acionou o Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU) e a polícia. Houve tentativa de reanimação, mas o bebê já estava sem sinal de vida. Um perito da Polícia Civil esteve no local, constatou a morte e relatou que a criança não apresentava nenhum sinal de agressão. Abalados com o fato, os pais do bebê não quiseram gravar entrevista. Alerta A tenente Euneíse Costa do Corpo de Bombeiros de Governador Valadares alerta para situações de engasgadura. A tenente dá dicas de como se portar diante de um fato semelhante. “A primeira coisa a se fazer é avaliar rápido a situação. Se o bebê não consegue chorar nem tossir, as vias aéreas podem estar fechadas, e você vai precisar ajudá-lo a voltar a respirar. Ele pode estar fazendo ruídos estranhos ou abrindo a boca sem emitir nenhum som. A pele pode começar a ficar muito vermelha, azulada ou arroxeada”, recomenda a tenente. Ainda de acordo com a tenente Euneíse, caso o bebê não consiga se desengasgar, grite e peça ajuda a alguém para levá-los ao pronto-socorro, e comece a fazer as tentativas de desengasgo. Se estiver sozinho em casa com o bebê, ligue para o Corpo de Bombeiros, 193, o telefonista irá passar as orientações por telefone até a chegada da viatura. estava sem vida.

Curitiba recebe 19º Salão Paranaense de Turismo até sábado

Curitiba recebe 19º Salão Paranaense de Turismo até sábado Setor se reúne para encontro cultural e de oportunidades profissionais. A previsão é de que compareçam cerca de 4 mil pess Curitiba recebe até sábado (02) o 19º Salão Paranaense de Turismo, promovido pela Associação Brasileira de Agências de Viagens do Paraná (ABAV-PR). A cerimônia de abertura foi realizada nesta quinta-feira (28), na Expo Unimed Curitiba, no bairro Campo Comprido. Segundo o secretário de Turismo do Paraná, Jackson Pitombo, a feira de negócios busca promover um encontro cultural entre várias regiões do estado e também, gerar oportunidades no setor. O evento reúne mais de 300 expositores, entre eles, redes de hotéis, agências e operadoras de viagem, companhias aéreas e de cruzeiros marítimos, prestadores de serviços, além dos órgãos oficiais do turismo. Segundo o secretário, o Salão Paranaense é o maior evento do setor do Sul do Brasil e conta com a participação de profissionais de outros estados. Em paralelo, também ocorre a 9ª Mostra das Regiões Turísticas do Paraná. "É a oportunidade do pessoal do litoral conhecer a costa oeste, o pessoal do norte conhecer o sul e ver que aqui do nosso lado tem atrativos muito interessantes que vão fazer as pessoas sentir orgulho do nosso estado", conta Pitombo. Ele ainda explica que esta é a primeira vez que 10 regiões turísticas do Paraná são apresentadas no evento. Atrativos De acordo com o secretário de Turismo do Paraná, Jackson Pitombo, entre os destinos expostos no 19º Salão Paranaense de Turismo está Foz do Iguaçu, o mais procurado em razão das Cataratas e da Usina de Itaipu. Depois, vem o litoral paranaense, com Guaraqueçaba e a Ilha do Mel, em Paranaguá. As cidades do interior do Paraná também fazem parte da exposição como os destinos mais escolhidos pelos turistas. O Parque Estadual de Vila Velha, em Ponta Grossa; o Guartelá, em Tibagi, com o sexto maior canyon do mundo; e também, as cachoeiras de Prudentópolis. Programação O 1º Encontro Paranaense de Hospitalidade, onde são realizadas palestras e capacitação para hoteleiros e agentes de viagens, é outro evento concomitante ao Salão Paranaense. A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes do Paraná (Abrasel-PR) também participa com uma amostra dos principais pratos do Festival Brasil Sabor 2013, que será realizado entre 2 e 19 de maio. Este evento reúne mais de 100 restaurantes em cerca de 20 cidades do estado. Além disso, blogueiros se reúnem para um encontro. A ideia é mostrar que os blogs dos viajantes ajudam a aquecer o setor e não são concorrentes de um profissional de viagem. Junto ao evento, existe a programação técnica, com destaque para uma palestra sobre a Disney. Serviço O Salão Paranaense não é aberto ao público e somente pessoas ligadas ao setor podem participar. A expectativa de público é de 4 mil pessoas. Para quem não fez a inscrição até o dia 25 de fevereiro, pode se inscrever no local do evento. A taxa custa R$ 50.

Dificuldades “dentro da porteira” levam a reajuste ao produtor de leite

Dificuldades “dentro da porteira” levam a reajuste ao produtor de leite Os reajustes foram motivados pela queda da produção em janeiro. O preço do leite recebido pelo produtor em fevereiro (referente à produção de janeiro) aumentou 1,35% em relação ao mês anterior, com o litro cotado na média de R$ 0,8219 (preço líquido), segundo levantamentos do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Esalq/USP. Esse valor refere-se à média ponderada pelos volumes captados nos estados de GO, MG, PR, RS, SC, SP e BA. O preço bruto, ou seja, quando se consideram frete e impostos, subiu para R$ 0,8941/litro. Este valor, se comparado ao do mesmo período do ano passado, está levemente superior (0,6%) em termos reais – considerando-se a inflação (IPCA) do período. Os reajustes foram motivados pela queda da produção em janeiro. Conforme o Índice de Captação de Leite do Cepea (ICAP-Leite), o volume recebido por laticínios/cooperativas de sete estados recuou 2,67% de dezembro para janeiro. Na Bahia, a queda chegou a 10,8%, a maior entre os estados da pesquisa. Em seguida, Minas Gerais teve captação 5,2% menor, acompanhado de Goiás (4,6%) e São Paulo (2,4%). Já no Sul, a captação avançou 0,76% devido, principalmente, ao aumento da produção do Paraná (6,1%), único estado da pesquisa que produziu mais em janeiro que em dezembro. Por sua vez, a menor captação reflete as dificuldades para o produtor manter os investimentos na atividade. Conforme pesquisadores do Cepea, insumos importantes como o concentrado e fertilizantes ficaram levemente mais baratos no início deste ano, mas, como esperado, o custo de produção aumentou com o reajuste do salário mínimo, que tem impacto direto nas despesas com mão de obra. Além dos custos mais altos, outro problema apontado pela equipe Cepea é o forte calor, que reduziu o desempenho produtivo dos animais na maioria das regiões pesquisadas. No Nordeste, em especial, pesa também a escassez de forragem para o rebanho devido à estiagem prolongada. Paralelamente, agentes consultados pelo Cepea relatam que o excesso de chuvas no Sudeste e em algumas regiões do Sul também prejudicou o transporte de leite da propriedade até a plataforma das indústrias. No segmento de derivados lácteos, fevereiro tem sido um mês de estabilidade, conforme o Cepea. Tanto o preço do leite UHT como do queijo muçarela no atacado do estado de São Paulo seguem praticamente nos mesmos níveis de janeiro. O leite UHT em fevereiro (cotação até o dia 27) tem média de R$ 1,90/litro e o queijo muçarela, de R$ 11,42/kg, ligeiras reduções de 0,9% e 0,15% em relação a janeiro, respectivamente. Colaboradores do Cepea acreditam que o consumo tenda a aumentar a partir de agora, com a retomada efetiva das aulas, e que os preços devam se recuperar. Essa pesquisa do Cepea é feita diariamente com laticínios e atacadistas e tem o apoio financeiro da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) e da Confederação Brasileira de Cooperativas de Laticínios (CBCL). AO PRODUTOR – Em fevereiro, os preços aumentaram em quase todos os estados da pesquisa Cepea; a exceção foi São Paulo, onde a média foi de R$ 0,9035/litro (preço bruto), com leve redução de 0,7% frente a janeiro. Já na Bahia aconteceu o maior aumento entre os estados da pesquisa, de 7,8% (ou 6,5 centavos por litro), com o litro cotado a R$ 0,8918. Em Goiás, o aumento foi de 1,9% (ou 1,7 centavo por litro), com a média bruta a R$ 0,9223. Logo em seguida esteve Santa Catarina, com alta de 1,54% e média de R$ 0,8772, o que significa 1,3 centavo a mais por litro. No Paraná, o reajuste foi de 1,52% (1,3 centavo por litro), com a média a R$ 0,8972/litro. Em Minas Gerais, com o aumento de 1,2 centavo, o litro teve média de R$ 0,9050. Por fim, no Rio Grande do Sul, o aumento foi de 1,3% ou 1,1 centavo por litro, sendo média calculada em R$ 0,8364/litro. Entre os estados que não compõem a “média nacional Cepea”, o maior aumento (1,2%) aconteceu no Espírito Santo, onde o litro foi cotado a R$ 0,8783 (valor bruto). No Rio de Janeiro, o preço do leite aumentou 1% (0,9 centavo), com a média indo a R$ 0,9601/litro. O preço no Ceará teve aumento de 0,8% (0,8 centavo), chegando a R$ 0,9611/litro. Em Mato Grosso do Sul, o preço ficou praticamente estável, com leve alta de 0,4%, com o litro a R$ 0,8039. Para o mês de março (produção de fevereiro), a maior parte dos representantes de laticínios/cooperativas consultados pelo Cepea (56% dos entrevistados, que representam 52,1% do volume de leite amostrado) acredita em estabilidade nos preços. Já para 34% dos entrevistados (que representam 41,9% do volume de leite amostrado), a expectativa é de nova alta e 10% dos consultados (6% do volume amostrado) acreditam que deve haver queda nas cotações. Fonte: Cepea

ESTREIA-"Dezesseis Luas" adapta romance juvenil superior a "Crepúsculo"

SÃO PAULO, 28 Fev (Reuters) - Se cinema fosse uma equação matemática, "Dezesseis Luas" poderia ser descrito assim: "Crepúsculo" mais "... E o Vento Levou" multiplicado por "Carrie, A Estranha". Apesar de sua inegável estranheza, o romance juvenil sobrevive com mais sagacidade e menos tédio do que a milionária trilogia dos vampiros. Baseado numa série de livros --até agora são quatro-- escrita por Kami Garcia e Margaret Stohl, "Dezesseis Luas" é o que "Crepúsculo" seria se tivesse uma produção mais caprichada e coadjuvantes talentosos para cercar o casal de protagonistas. Aqui, Emma Thompson, Jeremy Irons e Viola Davis são responsáveis pelos melhores momentos do longa, protagonizado por Alden Ehrenreich ("Tetro") e Alice Englert. Numa pequena cidade, Ethan (Ehrenreich) cuida do pai, que caiu em depressão depois da morte da mãe. O rapaz espera terminar o colegial para ir estudar numa universidade bem longe. A chegada de Lena Duchannes (Alice) representa uma mudança. Ela é estranha, mora na casa de um tio ricaço excêntrico que vive isolado da cidade, Macon Ravenwood (Irons), que também tem fama de bruxo. Isso não ajuda em nada ela a fazer amigos -- pelo contrário, acaba bastante rejeitada na escola. Logo que Ethan se apaixona por ela, a garota revela que é bruxa -- ou, como prefere dizer, "conjuradora". Com a aproximação de seu 16º aniversário, a menina irá descobrir se é do lado da magia negra ou da magia do bem. Enquanto isso, porém, precisa enfrentar a escola, onde é hostilizada até ter um ataque à la Carrie --porém mais ameno-- e quebrar as vidraças com a força do seu pensamento. Emma Thompson faz o melhor personagem no filme: uma carola que pretende expulsar Lena da cidade. Porém, numa reunião, na igreja local, quando discutem o destino de Lena, o recluso Macon resolve aparecer, e, só para ele, ela revela sua verdadeira identidade: Sarafine, a mãe de Lena, que veio clamar a filha para o lado negro da força. O filme sabe aproveitar bem a mitologia que se criou na região sul dos EUA por conta da Guerra Civil. O clímax, por exemplo, é um trabalho escolar que consiste numa encenação do conflito -- com os meninos devidamente vestidos de soldados e as garotas, de "Southern belle". Uma atmosfera que faz lembrar o clima de "...E o Vento Levou". Dirigido por Richard LaGravenese ("P. S. Eu Te Amo"), "Dezesseis Luas" é um romance juvenil, mas consegue se elevar um tantinho acima dos outros no gênero -- especialmente por saber equilibrar a história de amor com o pano de fundo da feitiçaria e a disputa por Lena. Fora isso, o diretor sabe introduzir momentos engraçado, e, por isso, passa longe do mar de sofrimento romântico-juvenil de "Crepúsculo". (Por Alysson Oliveira, do Cineweb) .

Receita com transmissão de futebol dispara na América Latina

28 Fev (Reuters) - A receita dos direitos de transmissão do futebol na televisão nas principais ligas da América Latina aumentou 56 por cento em 2012, superando a casa do bilhão de dólares, segundo um relatório sobre o setor. Um estudo da Dataxis apontou que os direitos de TV para os jogos da primeira divisão na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, México e Peru renderam 1,07 bilhão de dólares em uma região tradicionalmente não considerada como particularmente lucrativa no ramo de esportes. Os direitos sobre o Campeonato Brasileiro valeram 610 milhões de dólares em 2012, quase 57 por cento do total na região, afirmou a Dataxis em um comunicado. Quatro países, Brasil, Argentina, Chile e México, foram responsáveis por mais de 90 por cento do valor de 2012, disse o analista sênior da Dataxis Juan Pablo Conti à Reuters. Conti, autor do relatório de 40 páginas chamado "Direitos de transmissão de futebol e canais de esportes da América Latina em 2013", indicou aumentos maiores no futuro, especialmente no México. "O México é um caso particular, porque a Televisa e a TV Azteca compartilham o mercado de TV inteiro entre elas, então os preços não são tão altos. Mas isso vai mudar", disse. Conti afirmou que "de acordo com as nossas estimativas, o governo argentino pagou cerca de 915 milhões de pesos (212,5 milhões de dólares) durante 2012 pelos direitos de transmissão dos torneios da primeira e segunda divisões" no programa estatal Futbol Para Todos. "Este valor não inclui os custos de produção", acrescentou. Ele disse que houve um aumento de mais de 11 por cento na receita de transmissão de partidas no Chile de 2011 a 2012. "Diferentes federações locais e associações de futebol profissional estão atualmente experimentando diferentes modelos de negócios para comercializar os direitos de transmissão na América Latina", disse Conti, no relatório.

Deputados apresentam pedido de criação de CPI sobre telefonia móvel

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - Deputados apresentaram nesta quinta-feira requerimento para criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as tarifas e o serviço prestado pelas operadoras de telefonia móvel no Brasil. A apresentação do documento, que recebeu o apoio de mais de 171 deputados, é o primeiro passo de um longo trajeto até que a CPI seja efetivamente criada. "É pertinente a necessidade das principais operadoras apresentarem seus custos para justificar preços tão altos por uma prestação de serviço tão ineficiente", explica o deputado César Halum (PSD-TO), no requerimento de sua autoria. Após a conferência das assinaturas, e a constatação por parte da assessoria jurídica da Mesa Diretora da Câmara de que há fato relevante que justifique a criação da CPI, o requerimento entra numa fila de espera que já conta com outros 11 pedidos de criação de CPIs. Os primeiros itens da lista serão analisados pela Diretoria-Geral e pelo presidente da Casa, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), que decidirão pela criação ou não da CPI. Além disso, há um limite de comissões que podem funcionar ao mesmo tempo. É permitido o trabalho de cinco CPIs de cada vez. Atualmente, há três comissões de inquérito em funcionamento na Câmara do Deputados. (Reportagem de Maria Carolina Marcello

TV paga cresce 1,93% em janeiro ante dezembro

RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - O segmento de TV paga no Brasil cresceu 1,93 por cento em janeiro sobre o mês anterior, com o acréscimo de 312,2 mil novas conexões, informou a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) nesta quinta-feira. No total, o setor fechou janeiro com 16,5 milhões de assinaturas. Se considerados os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 3,2 pessoas por domicílio, em janeiro cerca de 53 milhões de pessoas, ou 27 por cento da população brasileira, tinham acesso ao serviço de TV paga. As operações combinadas de Net e Embratel, empresas do grupo mexicano América Móvil, totalizavam 8,64 milhões de assinaturas em janeiro, 144 mil a mais que no mês anterior. Já o grupo Sky/DirecTV cresceu sua base em 106 mil assinantes sobre o último mês de 2012, para 5,14 milhões de conexões. A Oi consolidou-se no terceiro lugar em janeiro, com crescimento de quase 6 por cento de sua base de assinantes, que chegou a 792 mil conexões. Já a Telefônica teve uma perda líquida de clientes, e encerrou o primeiro mês de 2013 com 568 mil acessos, recuo de 1,5 por cento sobre dezembro. A GVT, do grupo francês de mídia e telecomunicações Vivendi, cresceu em 26 mil acessos, para 451 mil no mês passado. (Por Sérgio Spagnuolo)

Lucro da Linx cai 17,7% em 2012, para R$17,3 mi

28 Fev (Reuters) - A Linx registrou lucro líquido de 17,3 milhões de reais em 2012, queda de 17,7 por cento sobre o ano anterior, informou nesta quinta-feira a empresa paulista de software para varejistas. O lucro líquido das operações continuadas totalizou 22 milhões de reais no ano passado, queda de 18,5 por cento na comparação anual. Já a receita operacional líquida atingiu 230,9 milhões em 2012, 25,2 por cento superior aos 184,5 milhões de reais de 2011, enquanto o Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) ajustado, no período, foi de 64,7 milhões de reais, alta de 14,4 por cento ante 2011. A companhia estreou na Bovespa no início de fevereiro, marcando a primeira oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) desde o fim de abril de 2012. O IPO foi precificado no topo da faixa indicativa sugerida pelos coordenadores da oferta, de 27 reais. Desde então, os papéis já subiram mais de 18 por cento. (Por Juliana Schincariol, no Rio de Janeiro)

Soldado dos EUA se declara culpado de uso indevido de informações no caso WikiLeaks

Por Medina Roshan FORT MEADE, EUA, 28 Fev (Reuters) - O soldado norte-americano acusado de fornecer mensagens diplomáticas e outros documentos secretos à organização WikiLeaks se declarou culpado nesta quinta-feira de mau uso de material classificado, mas rejeitou a acusação mais grave em julgamento militar, indicando que não ajudou o inimigo. O soldado Bradley Manning, de 25 anos, apresentou estas declarações antes de comparecer diante de uma corte marcial, que começa em 3 de junho, num caso que incide sobre o maior vazamento de documentos secretos na história dos Estados Unidos. A juíza militar Denise Lind aceitou as declarações de culpabilidade durante a tarde. Manning se declarou culpado de uma série de 10 acusações menores por uso indevido de informação classificada e enfrenta uma pena máxima de 20 anos de prisão. "Acredito que se o público em geral...tivesse acesso à informação...isso poderia iniciar um debate nacional sobre o papel do Exército e a política externa em geral", disse Manning diante da juíza encarregada da audiência. Durante a leitura de um comunicado de 35 páginas enquanto permanecia sentado ao lado de seus advogados, o jovem descreveu seus sentimentos depois de apresentar informação secreta ao WikiLeaks. "Senti que tinha feito algo que me permitiria ter a consciência limpa", afirmou Manning, que falou sob juramento durante mais de uma hora. "Este era o tipo de informação...que deveria ser tornada pública", acrescentou. Na audiência, Manning se declarou inocente da acusação mais grave, a de ajudar o inimigo, através de seu advogado. O soldado, que está preso há mais de mil dias, poderia pegar prisão perpétua se condenado por ajudar o inimigo.

Irã amplia prisões, tortura e execuções, diz ONU

Por Stephanie Nebehay GENEBRA, 28 Fev (Reuters) - O Irã intensificou as execuções de prisioneiros, inclusive menores de idade, além das detenções de dissidentes que muitas vezes são torturados até a morte na prisão, disseram dois relatórios da ONU na quinta-feira. Nos textos divulgados em Genebra, o secretário-geral Ban Ki-moon e o investigador especial da ONU para direitos humanos no Irã, Ahmed Shaheed, manifestaram preocupação com o que descreveram como um aparente aumento na frequência e gravidade dos abusos no Irã. "O secretário-geral continua profundamente perturbado por relatos sobre crescentes números de execuções, inclusive de menores infratores e em público; sobre a continuidade das amputações e açoitamentos; sobre as prisões e detenções arbitrárias; sobre os julgamentos injustos, tortura e maus-tratos; e sobre as severas restrições contra os profissionais da mídia, defensores dos direitos humanos, advogados e atividades da oposição, bem como minorias religiosas." Em seu relatório, Shaheed disse que o Irã deixou de investigar "violações disseminadas, sistêmicas e sistemáticas dos direitos humanos". Ele pediu a "libertação imediata e incondicional" de ativistas, jornalistas e advogados que estejam presos por sua militância em prol dos direitos humanos. Shaheed disse que os líderes oposicionistas Mehdi Karoubi e Mir Hossein Mousavi, sob prisão domiciliar, estão entre centenas de pessoas que se tornaram presos políticos por exercerem sua liberdade de expressão durante protestos contra uma suposta fraude eleitoral em 2009. Num ano em que o Irã terá novamente eleições presidenciais, dezenas de jornalistas, blogueiros e ativistas foram detidos nos últimos meses, segundo Shaheed. Advogados que defendem essas figuras também sofrem represálias, como o foi o caso de Abdolfatah Soltani, que foi detido em 2011 e agora cumpre pena de 13 anos de prisão. Num caso que provocou indignação internacional, o blogueiro Sattar Beheshti foi preso em outubro depois de receber ameaças de morte, e morreu dias depois, na prisão. As autoridades iranianas detiveram sete pessoas por suposto envolvimento na morte, e uma fonte judicial disse que a perícia encontrou marcas de pancadas no corpo dele. Shaheed escreveu que "uma fonte bem informada comunicou que o sr. Beheshti foi torturado com o propósito de que obtivessem seu nome de usuário e senha do Facebook, que ele foi repetidamente ameaçado de morte durante seu interrogatório, e que foi agredido no rosto e no torso com um cassetete". Ele acrescentou que também foram relatados casos de torturas com instrumentos contundentes, inclusive cassetetes, além de estupros e choques elétricos. Os dois relatórios recomendaram que o Irã pare de aplicar a pena de morte a menores de idade, o que é proibido pelo direito internacional.

Anatel aprova redução para tarifas fixo-móvel em 2013

RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - O Conselho Diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou nesta quinta-feira a redução em 8,77 por cento das tarifas de chamadas de telefones fixos para móveis em 2013, informou a autarquia. Essa redução valerá para as concessionárias de serviços fixos Oi, Telefônica Brasil, CTBC, Sercomtel e Embratel, a partir de 30 dias da publicação no Diário Oficial da União. No ano passado, essas empresas tiveram redução de 10,78 por cento nas tarifas desse tipo de chamada, segundo a Anatel. A Telemar Norte Leste S.A., do grupo Oi, terá sua tarifa fixo-móvel cortada em 18,6 por cento, após não ter acarretado reduções em 2012 por conta de determinações judiciais. (Por Sérgio Spagnuolo

Nestlé espera ter crescimento no Brasil "bem acima do PIB

RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - A Nestlé, maior companhia de alimentos do mundo, espera registrar um crescimento no Brasil bem acima do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano, segundo seu presidente, Juan Carlos Marroquín, que demonstrou forte otimismo com a performance da empresa no país. "As demandas de crescimento para países como Brasil são mais importantes e vão dar certo... será um crescimento importante e bem acima do PIB", afirmou o executivo a jornalistas. Sem entrar em detalhes, Marroquín disse apostar num forte crescimento do mercado de bebidas/líquidos neste ano. O executivo se mostrou confiante no desempenho do grupo independentemente do ritmo de expansão econômica e da pressão inflacionária, que pressiona o poder de compra dos consumidores brasileiros. Cauteloso nas informações por conta do período de silêncio, uma vez que a empresa vai divulgar planejamento de vendas em cerca de duas semanas, Marroquín disse que está otimista com o mercado brasileiro. "Estamos num setor bom da economia, de menos glamour que outras indústrias. Vendemos bebida e comida, temos marcas fortes... e não é preciso ligar crescimento e inflação. Se estamos perto do mercado consumidor, clientes e fornecedores(estamos bem)", disse. Ele participou nessa quinta-feira de evento para anunciar a aquisição de um terreno onde existe uma fonte de água mineral na cidade de Silva Jardim (RJ), para a construção de uma engarrafadora de água mineral da Nestlé. A previsão é que sejam investidos 117 milhões de reais nos próximos 5 anos na unidade que deve começar a operar a partir de agosto. A capacidade da unidade não foi revelada pela companhia. "É um investimento estratégico no nosso segundo maior mercado e que cresce acima da média do país", declarou Marroquín. O mercado de água mineral tem crescido nos últimos anos cerca de 14 por cento e tem uma perspectiva bastante positiva, de acordo com executivos da Nestlé. A empresa é dona de marcas de água como Petrópolis, Danone, São Lourenço entre outras. (Por Rodrigo Viga Gaier) ©

Justiça decide a favor de ex-sócio de Eike em disputa por ações da OGX

RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - Em uma nova rodada da disputa entre empresário Eike Batista, do grupo EBX, e Rodolfo Landim, ex-executivo do grupo, a 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro decidiu a favor deste último, mas Eike irá recorrer da decisão. No contrato entre os dois executivos, havia uma cláusula que impedia Landim de vender as ações que possuía da OGX até 26 de novembro de 2011. Em seu entendimento, isso deixava de ter validade após sua saída da empresa, que aconteceu em abril de 2010. Eike entendia diferente. Inicialmente, Eike bloqueou a venda das ações detidas por Landim, dando início à disputa judicial. Em meio ao processo, o Landim conseguiu vender suas ações. No entanto, alegou que teve prejuízo, devido à queda do valor das ações da OGX, num valor aproximado de 50 milhões de reais. "A 10ª Câmara Cível entendeu que no momento em que Eike resolveu afastar Landim das empresas, não havia mais legalidade na manutenção do impedimento de venda das referidas ações", segundo nota da assessoria de imprensa do advogado Sergio Tostes, que defende Landim. Eike irá recorrer da decisão, segundo seu advogado Sérgio Bermudes. "Esta ação será julgada definitivamente pelo Superior Tribunal de Justiça", disse, adicionando que a decisão final desta disputa pode levar de um a dois anos. (Por Juliana Schincariol)

Dólar tem leva alta ante real, mas fecha mês em queda de 0,6%

Por Bruno Federowski e Natália Cacioli SÃO PAULO, 28 Fev (Reuters) - O dólar fechou esta quinta-feira com leve alta frente ao real, após operar perto do zero a zero durante a maior parte da sessão. De olho nas incertezas do cenário externo, investidores preferiram manter as cotações dentro dos limites de uma banda cambial informal que parece ter sido imposta pelo governo. A moeda norte-americana fechou com alta de 0,22 por cento, a 1,9782 real na venda, após registrar queda de 0,61 por cento na véspera. Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de 2,425 bilhões de dólares. No mês, o dólar recuou 0,59 por cento ante a divisa brasileira, consolidando-se na faixa de 1,95 real e 2 reais que o mercado acredita ser a nova banda cambial imposta pelo Banco Central para ajudar no combate à inflação. "Isso é vontade do governo", disse o diretor-executivo da NGO Corretora, Sidnei Nehme. "Por enquanto, ele vai conseguir controlar isso, já que os bancos também estão vendidos". Desde o fim de janeiro, o dólar recuou do nível de 2 reais, que à época era considerado pelo mercado como o piso informal definido pelo governo para a moeda, para patamares mais baixos, pressionado por intervenções do Banco Central no mercado de câmbio. Analistas especulam que o movimento em direção a um real mais fortalecido tem como objetivo baratear produtos importados e conter pressões inflacionárias, embora o governo afirme que o câmbio não é ferramenta para lidar com os preços, e sim os juros. A perspectiva de um dólar mais baixo para conter a inflação levou instituições financeiras a assumirem posições vendidas no mercado de câmbio, mesmo com o país registrando saída líquida de 2,840 bilhões de dólares no mês até o dia 22 de fevereiro. "Enquanto houver a percepção de que a inflação ameaça impor um teto para a taxa de câmbio, os bancos locais não devem se apressar para cobrir essa posição", escreveu a estrategista de câmbio da América Latina do RBS, Flavia Cattan-Naslausky, em relatório

CEO da Fiat vê 50% de chance de IPO da Chrysler; prefere fusão

Por Bernie Woodall KOKOMO, Indiana, 28 Fev (Reuters) - Sergio Marchionne, presidente-executivo tanto da Fiat quanto da sua controlada Chrysler, disse que vê 50 por cento de chance de que a montadora norte-americana faça uma oferta inicial de ações (IPO), mas preferiria uma fusão total com a Fiat. A Fiat divide o controle da montadora dos EUA com o fundo de pensão fiduciário afiliado ao sindicato United Auto Workers. Marchionne disse que preferiria que a montadora italiana Fiat comprasse a participação do fundo fiduciário. "Minha preferência é ser uma única empresa", disse Marchionne a jornalistas em Kokomo, Indiana, nos Estados Unidos nesta quinta-feira. Nos últimos quatro anos, as duas montadoras foram misturando suas operações enquanto a Fiat aumentou sua participação na Chrysler, disse Marchionne, que é presidente-executivo de ambas as empresas desde que a Chrysler saiu da concordata em 2009. A Fiat, no entanto, tem estado em desacordo com o fundo fiduciário sobre o valor da Chrysler. O fundo está sob pressão para obter o máximo valor possível de sua participação na Chrysler para pagar benefícios médicos. Marchionne fez as declarações em uma fábrica em Kokomo, Indiana, onde a Chrysler anunciou que vai investir 374 milhões de dólares em quatro unidades no Estado. (Por Bernie Woodall in Kokomo, Indiana)

Depois de 2012, governo vê cenário difícil para a atividade neste ano

Por Luciana Otoni e Tiago Pariz BRASÍLIA, 27 Fev (Reuters) - Diante do baixo crescimento da economia em 2012, a ser confirmado na sexta-feira, o governo deve adotar publicamente um tom de otimismo cauteloso para este ano, já que internamente trabalha com um cenário de dificuldades e incertezas para fazer deslanchar a atividade. A equipe econômica, segundo três fontes do governo ouvidas pela Reuters, acredita que 2013 possui uma engrenagem mais azeitada do que a do ano passado graças às melhores condições para a indústria, devido a reduções nos custos de produção, mas continua uma preocupação grande com o volume de investimentos. O mantra deverá ser: a recuperação da atividade já está em curso. "A economia cresceu 1 por cento (em 2012), talvez um pouco menos, mas já vemos sinais mais claros de recuperação", afirmou uma das fontes. O problema é que essa recuperação ainda é incipiente e os sinais não estão consolidados de forma a transformar em fato o que ainda é expectativa. O governo se preocupa com a retomada mais forte dos investimentos e há avaliações de que, de fato, ele vai deslanchar somente no final do próximo ano. A boa notícia é de que as indicações tanto dentro da equipe econômica quanto no mercado financeiro são de que a Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF) cresceu no quarto trimestre de 2012, na primeira alta após cinco trimestres. "O investimento está crescendo e depende muito do governo por isso... O governo não vai abandonar o papel de indutor do investimento", disse uma das fontes. A equipe econômica acredita que o caminho correto já foi tomado, sobretudo por causa das concessões que estão sendo preparadas em setores essenciais de infraestrutura, como rodovias e ferrovias. Mas existe uma preocupação, na avaliação das fontes, em relação à falta de fôlego do setor privado para aumentar investimentos, em meio a incertezas sobre as economias doméstica e internacional.

Vale vê melhor cenário com retomada do minério, aço e carvão

Por Sabrina Lorenzi RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - O preço do minério de ferro acima do esperado no início do ano, a recuperação da siderurgia mundial e do consumo do carvão metalúrgico contribuirão para melhorar o desempenho da Vale, após um resultado abatido pela desvalorização de seus produtos e ativos no ano passado. Também devem melhorar o desempenho da companhia neste ano a entrada em operação e o aumento da capacidade produtiva de projetos como os de níquel Nova Caledônia (no Pacífico Sul) e Onça Puma (Pará), que passaram por problemas operacionais e estão sendo reerguidos, disseram executivos da empresa nesta quinta-feira em teleconferência com analistas de mercado. "O cenário de minerais e metais está se movendo de maneira positiva", avaliou o presidente da Vale, Murilo Ferreira, ao detalhar o balanço financeiro divulgado na noite de quarta-feira. O lucro da Vale em 2012 despencou de 37,8 bilhões de reais em 2011 para 9,7 bilhões de reais em 2012, em meio a preços mais baixos do minério de ferro ao longo do ano passado e a fatores contábeis e extraordinários que resultaram em prejuízo de mais de 5 bilhões de reais no quarto trimestre, a primeira perda em dez anos. O desempenho do preço do minério de ferro acima do esperado no início do ano contribuirá para melhorar a situação de caixa da Vale, disse o diretor financeiro da empresa, Luciano Siani. No começo de fevereiro, o preço do minério de ferro chegou a atingir a máxima de 16 meses na China, cotado a 158,90 dólares a tonelada. Além da recuperação da demanda por aço, contribuíram para a disparada a necessidade de recomposição de estoques por siderúrgicas chinesas, entre outros fatores. A Vale, inclusive, avalia que o cenário de recuperação da siderurgia mundial deve se manter. E tal recuperação, com aumento do uso da capacidade de alto-fornos, deve elevar o consumo de carvão metalúrgico, o que é positivo para o preço do minério de ferro de maior qualidade, vendido pela Vale, disseram os executivos

Economia dos EUA quase não cresce no 4o tri

Por Jason Lange WASHINGTON, 28 Fev (Reuters) - A economia dos Estados Unidos quase não cresceu no quarto trimestre de 2012, embora uma performance um pouco melhor nas exportações e menos importações tenham levado o governo a descartar uma estimativa anterior que mostrava contração. Outro relatório divulgado nesta quinta-feira mostrou uma queda nos novos pedidos de auxílio-desemprego na semana passada, sugerindo que a recuperação do mercado de trabalho está ganhando força. O Produto Interno Bruto (PIB) norte-americano se expandiu a uma taxa anual de 0,1 por cento, informou o Departamento de Comércio nesta quinta-feira, ante alta de 0,5 por cento previsto por analistas em pesquisa da Reuters. A taxa de crescimento foi a mais lenta desde o primeiro trimestre de 2011, e distante do que é necessário para alimentar uma queda mais veloz na taxa de desemprego. Muito dessa fraqueza ainda veio de uma desaceleração no acúmulo de estoques e de uma forte perda nos gastos militares. Espera-se que tais fatores sejam revertidos no primeiro trimestre deste ano. Os gastos dos consumidores avançaram na mesma comparação, embora tenham se expandido em uma taxa anual de apenas 2,1 por cento. Como a força dos gastos das famílias provém cerca de 70 por cento da produção nacional, esse ritmo de crescimento ainda sem brilho sugere que o dinamismo da economia era bem modesto no início do primeiro trimestre, quando um aperto fiscal significativo teve início. No entanto, dados sobre vendas no varejo e do mercado imobiliário sugeriram que aumentos de impostos promulgados em janeiro não foram um grande empecilho para as famílias

Petrobras anuncia produção recorde no pré-sal em fevereiro

Por Roberto Samora SÃO PAULO, 28 Fev (Reuters) - A Petrobras anunciou nesta quinta-feira que a produção de petróleo nos campos operados por ela no pré-sal bateu recorde em fevereiro, ao alcançar 300 mil barris por dia no dia 20, em um momento em que a estatal sofre com a redução da produtividade em outros poços. Do total extraído, 249 mil barris de petróleo, ou 83 por cento, correspondem à parcela da Petrobras. O restante pertence às empresas parceiras da estatal nas diversas áreas de produção da camada pré-sal, disse a empresa em comunicado. A produção no chamada camada pré-sal tem ajudado a amenizar o declínio na extração da estatal em outras áreas. Em janeiro, o bombeamento de petróleo no Brasil caiu quase 7 por cento na comparação com o mesmo mês de 2012, devido a uma série de fatores, entre eles paradas para manutenção e problemas operacionais, informou a Petrobras nesta quinta-feira. A marca recorde, destacou a companhia, indica a alta produtividade dos poços do pré-sal. "A produção de 300 mil barris por dia foi alcançada sete anos, apenas, depois da primeira descoberta de petróleo na camada pré-sal, ocorrida em 2006", disse a Petrobras, observando que o intervalo de tempo é inferior ao necessário para se chegar ao mesmo patamar em outras importantes áreas de produção marítima no mundo. Na porção americana do Golfo do México, por exemplo, foram necessários 17 anos, depois da primeira descoberta, para se alcançar a produção de 300 mil barris de petróleo por dia, disse a estatal brasileira. Na bacia de Campos, continuou a Petrobras, foram 11 anos. E no Mar do Norte, nove. "Diferentemente dessas áreas, na camada pré-sal toda a produção de petróleo ocorre em águas profundas, o que torna esse resultado ainda mais expressivo." Na quarta-feira, o diretor de Engenharia da empresa, José Antônio de Figueiredo, já havia destacado durante evento no Rio de Janeiro que os poços do pré-sal estão produzindo acima da expectativa.

Congresso votará na 3a veto dos royalties; Orçamento em seguida

BRASÍLIA, 28 Fev (Reuters) - O Congresso votará na próxima terça-feira o veto sobre a nova proposta de distribuição de royalties do petróleo e, logo depois, o Orçamento de 2013, segundo acordo fechado entre os presidentes da Câmara e do Senado nesta quinta-feira. A votação do veto e do Orçamento foi possibilitada pela decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), na quarta-feira, de derrubar a liminar que determinava a votação dos vetos por ordem cronológica. "Nós vamos, na mesma sessão, votar o veto dos royalties do petróleo e votar o Orçamento da União de 2013", disse a jornalistas o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), após reunião com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Segundo o presidente da Câmara, houve consenso na hora de definir a pauta de votação. "Acertamos, o presidente Renan e eu, de pautarmos para terça-feira a votação primeiramente do veto aos royalties e logo em seguida a votação do Orçamento, se possível, na mesma sessão", afirmou Alves. Tanto a votação do veto aos royalties quanto a do Orçamento vinham sendo adiadas após impasse criado no fim do ano passado por decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF) -- favorável aos Estados produtores da commodity -- determinando que os mais de 3 mil vetos na pauta do Congresso Nacional teriam de ser avaliados em ordem de chegada ao Legislativo. A decisão gerou a interpretação entre os parlamentares de que o Orçamento, dessa forma, não poderia ser votado enquanto a pauta não fosse esvaziada. Com a decisão de quarta do STF, abriu-se a possibilidade de votação das matérias. Parlamentares dos Estados produtores de petróleo, minoria no Congresso, afirmam que há uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) preparada para ser encaminhada ao STF caso o veto aos royalties seja derrubado, resultado tido como certo. Prometem ainda usar todos os instrumentos regimentais durante a votação no Congresso, o que deve torná-la longa e agitada. A nova distribuição dos royalties tem gerado controvérsia entre representantes dos Estados não produtores, que demandam uma distribuição mais igualitária, e Estados produtores, que recebem grande parte dos recursos.

Vetria prevê investir R$11,5 bi em projetos de jazida no MS

RIO DE JANEIRO, 28 Fev (Reuters) - A Vetria Mineração mira investimentos de 11,5 bilhões em projetos de sua jazida de minério de ferro em Corumbá (MS), após uma análise ter estimado um volume 10 vezes maior de recursos minerais no empreendimento do que inicialmente previsto. A companhia, criada em parceria pelas empresas de logística ALL e Triunfo e pela Vetorial Mineração, informou que a jazida possui cerca de 10 bilhões de toneladas de recursos minerais inferidos, comparados com a estimativa inicial de 1 bilhão de toneladas informada no fim de 2011, segundo avaliação feita pela consultoria Coffey Mining. Dessa forma, a Vetria alterou seu projeto inicial de 20 milhões para 27,5 milhões de toneladas anuais de minério de ferro, o que elevará os investimentos necessários para criação da solução integrada mina, ferrovia e porto em mais de 50 por cento. "Este investimento equivale a aproximadamente 215 dólares por tonelada anual de minério de ferro, em linha com as projeções iniciais", de acordo com fato relevante conjunto de ALL, Triunfo e Vetorial. Os investimentos inicialmente estimados para esses projetos era de 7,6 bilhões de reais, segundo documento de 2011. O teor médio de ferro estimado na jazida é de 46 por cento. A Vetria foi criada para atuar na exploração, beneficiamento, transporte, comercialização e exportação de minério de ferro, através de investimentos em ampliação de capacidade da mina, infraestrutura para transporte rodante e construção de porto privado em Santos. A ALL detém mais de 50 por cento da Vetria, seguida por Triunfo, com mais de 15 por cento, e acionistas da Vetorial, com mais de 33 por cento. (Por Sérgio Spagnuolo)

Cortes orçamentários nos EUA parecem inevitáveis; crescem acusações

Por Roberta Rampton e Lesley Wroughton WASHINGTON, 28 Fev (Reuters) - Na véspera da ativação de amplos cortes orçamentários, a Casa Branca e republicanos culparam um ao outro nesta quinta-feira por serem incapazes de evitar uma crise fiscal que, segundo o Fundo Monetário Internacional (FMI), pode desacelerar as economias norte-americana e mundial. Na falta de um altamente improvável acordo de último minuto, cortes de 85 bilhões de dólares abrangendo várias agências do governo federal entram em vigor na sexta-feira. Embora democratas e republicanos discordem sobre a severidade do impacto sobre serviços públicos, como controle de tráfego aéreo e aplicação da lei, o FMI disse que a recuperação econômica provavelmente será prejudicada pelos cortes automáticos de despesas. "Vamos ver o que acontece na sexta-feira, mas todo mundo está assumindo que os cortes vão ter efeito", disse o porta-voz do FMI, William Murray. "O que isto significa é que nós vamos ter que reavaliar nossas previsões de crescimento para os Estados Unidos e outras previsões", acrescentou. O fardo dos cortes automáticos será distribuído ao longo de sete meses e o Congresso pode interrompê-los a qualquer momento se ambos os partidos entrarem em acordo sobre como fazê-lo. Isso torna difícil dizer como as medidas afetarão os norte-americanos comuns. O governo do presidente Barack Obama alerta que navios da Marinha podem ser desocupados e crianças podem perder vacinas se os cortes não forem impedidos. O FMI provavelmente reduzirá sua projeção de crescimento econômico dos EUA em 2013 de 2 por cento para 1,5 por cento se os cortes forem integralmente implementados. Transformados em lei em 2011 como parte de uma solução bipartidária para uma emergência fiscal anterior, os cortes são rejeitados por ambos os partidos em razão de seus impactos econômicos

Sorriso cresce e lidera ranking dos principais municípios exportadores de MT

Sorriso cresce e lidera ranking dos principais municípios exportadores de MT Sorriso (460 quilômetros ao norte de Cuiabá) lidera o ranMaior produtor de soja e grão do Estado e detentor da maior área destinada ao cultivo da oleaginosa no mundo, mais de 600 mil hectares, a cidade abre a temporada 2013 das vendas externas passando da quinta posição em janeiro de 2012 para se tornar líder neste início de ano. Estoques de milho e algodão da safra passada garantiram os primeiros embarques deste ano. No ano passado, o ranking contabilizava nas cinco primeiras posições municípios produtores de grãos e fibras, mas especialmente os da porção norte do Estado. Na versão 2013, há uma pulverização, mostrando a força de praticamente todas as regiões mato-grossenses, mas com prevalência do agronegócio. Os dados fazem parte do levantamento regional divulgado na quarta, dia 27, pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic). Entre os cinco grandes exportadores mato-grossenses em janeiro estão: Sorriso, Rondonópolis, Cuiabá, Sapezal e Primavera do Leste. De todos, apenas Sapezal (470 quilômetros ao noroeste de Cuiabá), exibe retração na comparação anual, queda de 28,58%. As exportações de Sorriso, na comparação com os resultados de janeiro de 2012 ante os de 2013, passaram de US$ 30,90 milhões, quando ocupou o quinto lugar, para US$ 156,58 milhões, incremento de 406,63%. Apesar de estar em plena colheita da soja, a grande movimentação registrada no mês passado veio da venda do milho, cuja receita passou de US$ 15,28 milhões para mais de US$ 147,63 milhões, evolução de 866%. Com atrasos na colheita da atual safra, em decorrência de fatores climáticos, nem Sorriso e nem Sapezal, ao contrário do que se via em janeiro do ano passado, registraram no primeiro mês deste ano qualquer embarque do grão. Se Sorriso se firma na ponta pelo volume exportado de milho da safra 2012, Sapezal vai sustentando a pauta por meio da comercialização de pluma, também da safra passada. Rondonópolis (210 quilômetros ao sul de Cuiabá) manteve a segunda posição na comparação anual, mas incrementou o faturamento no período que passou de US$ 66,99 milhões para US$ 81,47 milhões. Cuiabá, que ocupa a terceira posição e que em janeiro do ano passado não figurava entre os cinco maiores, tem a maior variação percentual entre os grandes exportadores do Estado, avançou mais de 474% ao contabilizar receita de US$ 56,67 milhões ante US$ 9,87 milhões. Sapezal, que liderava o ranking em janeiro do ano passado, contabiliza retração de quase 30%. A receita caiu de US$ 59,98 milhões para US$ 42,84 milhões. Primavera do Leste (239 quilômetros ao sul de Cuiabá) também foi integrada ao “top 5” e apresenta evolução de 212%. O faturamento atual é de US$ 42,18 milhões ante US$ 13,52 milhões em janeiro do ano passado.

Primavera está entre as principais cidades exportadoras de MT

Primavera está entre as principais cidades exportadoras de MT Município registrou evolução de 212% nas exportações dCom uma evolução de 212% nas exportações de grãos, Primavera do Leste aparece em quinto lugar no ranking dos principais municípios exportadores de Mato Grosso. Conhecida por sua grande produção oriunda de suas terras férteis, a cidade tem faturamento atual de US$ 42,18 milhões ante US$ 13,52 milhões, número registrado em janeiro do ano passado e é a única cidade da região sudeste a entrar para a lista de ranking dos maiores exportadores do Estado. Entre os primeiros colocados no ranking de volume exportado, estão os municípios de Sorriso, maior produtor de soja e grão do Estado, seguido de Rondonópolis, Cuiabá e Sapezal. Sorriso que está no topo do ranking e com exportações de grãos que alcançaram US$ 30,90 milhões em janeiro de 2012, teve aumento de 406,63%, chegando a US$ 156,58 milhões. Mesmo com as movimentações com a colheita da soja, no município, a grande movimentação registrada no mês de janeiro foi devido a venda do milho, com atual receita de US$ 15,28 milhões, que passou para mais de US$ 147,63 milhões, evolução de 866%. As exportações de Rondonópolis passou de US$ 66,99 milhões para US$ 81,47 milhões. Já Cuiabá, que ocupa a terceira posição e que em janeiro do ano passado não figurava entre os cinco maiores, teve a maior variação percentual entre os grandes exportadores do Estado, avançou mais de 474% ao contabilizar receita de US$ 56,67 milhões ante US$ 9,87 milhões. Sapezal, foi o único município a sofrer retração nas exportações. Em janeiro de 2012 liderava o ranking, em janeiro deste ano contabilizou retração de quase 30%. A receita caiu de US$ 59,98 milhões para US$ 42,84 milhões.e janeiro deste ano em relação ao mesmo período do ano passado

Analistas apontam mudanças no mercado da soja e recuperação dos EUA

Analistas apontam mudanças no mercado da soja e recuperação dos EUA Especialista acredita que o momento é de segurar Em alta há dois anos, os preços da soja sofreram oscilações desde a última sexta, dia 23, mas, ainda assim, se mantêm acima da média. Com o término do Fórum de Previsões Agrícola 2013, nos Estados Unidos, analistas de mercado sugerem que os produtores de soja brasileiros fiquem atentos. A Cooperativa Coplacana, em São Paulo, estoca e processa soja. Por dia, 1.100 sacas do grão são transformadas em óleo, e o farelo que sobra é utilizado para a produção de ração. Os cooperados podem estocar a soja produzida sem custos."Nós temos condições de guardar mais tempo, porque não temos custo nenhum. É por conta da cooperativa", diz o produtor e diretor da Coplacana, José Clóvis.Com exceção de produtores que precisam fazer caixa, Clóvis acredita que o momento é de segurar o produto e deixar para vender depois, quando o preço deve melhorar."Deve chegar muito próximo do preço do ano passado. Eu acho que fica entre R$ 65,00 e R$ 80,00", aponta o produtor.O analista de mercado Glauco Monte tem opinião contrária. Para ele, depois dos anúncios feitos no fórum agrícola dos Estados Unidos, o momento é de atenção. A previsão é de que haja uma recuperação dos estoques norte-americanos."Visto que os Estados Unidos têm pouca soja à disposição, teríamos que exportar com toda capacidade, mas a gente não está conseguindo. Há muitos problemas nos portos, algumas greves, e isso tem gerado volatilidade, porque no momento que você não consegue exportar, os compradores, principalmente a China, procuram outros detinos, e quem tem rapidez em atender tem sido os Estados Unidos. Está se confirmando que eles terão um aumento de área no ano que bem e uma retomada dos rendimentos. De repente, a gente vai trabalhar com uma sequência de safra grande no Brasil e nos Estados Unidos. Poderemos trabalhar preços bem diferentes para a próxima safra", destaca o especialista.De acordo com o analista, é vantajoso segurar a soja só mesmo em prazos curtos."Os preços físicos tendem a ser bastante voláteis. Deve se segurar [a soja] por um período não muito longo. A partir do segundo semestre, a safra americana vai afetar os preços", alerta Monte. o produto para vender depois, quando preço melhorar

Parceria com Argentina vai aumentar em 25% movimentação em Paranaguá

O projeto foi apresentado nesta terça-feira (26/02) ao governador Beto Richa por representantes de ambos os governos. Com a parceria, Paranaguá pode ampliar em 25% sua movimentação. “Queremos uma relação ainda mais estreita e intensa entre o Brasil e a Argentina, que são países irmãos, com interesses comuns, que muitas vezes as oportunidades não são devidamente aproveitadas para garantir os avanços que desejamos para os brasileiros e argentinos”, afirmou o governador Beto Richa. Beto Richa disse que o porto de Santa Fé é um importante parceiro para a expansão de Paranaguá. “Para nós, paranaenses, é motivo de orgulho cooperar com os argentinos e ampliar os laços comerciais e culturais entre o estado e o país vizinho”, destacou o governador. Localizado em uma grande zona de produção de soja, carne e lácteos, o novo Porto Fluvial de Santa Fé irá concentrar (por ser o último porto fluvial da faixa de hidrovia na região) grande parte das produções do Norte da Argentina, Sul do Brasil, Paraguai e Bolívia. Os navios de cargas em Santa Fé seguiriam para Paranaguá, onde completariam suas cargas e partiriam para os países de destino. “O Porto de Santa Fé é um porto irmão. Ele tem as mesmas características de movimentação de cargas. Muitas vezes um navio inicia um embarque na Argentina e termina aqui, em Paranaguá. Vamos fazer deles portos complementares”, explicou Luiz Henrique Dividino, superintendente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa). “Nosso porto é o sócio ideal para o crescimento que o Porto de Paranaguá está tendo. Nós calculamos que, sobre o total movimento que tem o Porto de Paranaguá, nosso terminal pode aportar cerca de 25% as movimentações em Paranaguá”, destacou o presidente do Porto de Santa Fé, Marcelo Vorobiof. Um grupo, com membros de ambos os portos, foi criado para redigir um documento com especificações e atributos da parceria. O documento deve ser apresentado ao governador Beto Richa nos próximos dias. Investimentos em Paranaguá – A comitiva argentina, liderada pelo embaixador Luis Maria Kreckler, também conheceu os projetos de expansão do Porto de Paranaguá e os futuros investimentos até 2014. “Estamos trabalhando neste e muitos outros projetos de infraestrutura com o Estado do Paraná. A Argentina é o segundo parceiro comercial do Paraná. Por isso, a parceria entre os dois portos é fundamental para o futuro comercial do Paraná e da Argentina”, destacou Kreckler. Luiz Henrique Dividino apresentou as principais obras que, nos próximos anos, irão ampliar significativamente as negociações e movimentações do terminal. Entre elas estão a reestruturação do corredor de exportações para abrigar mais quatro navios; um novo píer para navios de granéis; ampliação do píer de granéis líquidos; novos berços para navios de conteiners e veículos e um exclusivo terminal de passageiros. “Depois de vários anos de estagnação, o porto voltou a receber investimentos para ampliar a capacidade operacional do nosso corredor de exportações. Um modelo de negócios que articula investimentos públicos e privados”, afirmou o governador Beto Richa. O Porto de Paranaguá fechou 2012 com uma movimentação de 44,6 milhões de toneladas. A expectativa, segundo a Appa, é de que o terminal movimente aproximadamente 48 milhões neste ano. Participaram da reunião o secretário de Estado da Infraestrutura e Logística, José Richa Filho; o diretor-geral da Secretaria de Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Horácio Monteschio; e o diretor da Agência de Internacionalização do Paraná, Rui Lemes. Na comitiva argentina também faziam parte o cônsul-geral em Curitiba, Hector Gustavo Vivacqua; o gerente de Engenharia do Porto de Santa Fé, Sebastian Alonso; a assessora de Comércio Exterior do porto, Paola Venturini; e o cônsul-adjunto em Curitiba, Carlos Nazareno Ayala. Fonte: Appa

Safra 2013/14 de grãos de Rússia pode crescer para 92 mi t, diz analista

A Rússia, historicamente um dos maiores exportadores mundiais de trigo, pode colher de 87 a 92 milhões de toneladas de grãos em 2013/14, disse o presidente do Instituto de Estudos do Mercado Agrícola (Ikar, na sigla em inglês), nesta quinta-feira. Segundo a consultoria, isso daria ao país um excedente exportável de cerca de 22 milhões de toneladas

Com problemas climáticos, China pode aumentar demanda por milho nos EUA

A preocupação de que a oferta interna de milho na China não seja suficiente para suprir a demanda pode levar o país a importar mais grãos dos Estados Unidos, afirmou à agência Bloomberg a consultoria chinesa Yigu Information Consulting nesta quarta-feira (27). De acordo com o gerente geral da Yigu, Feng Lichen, a China, segundo maior consumidor mundial de milho, tem atualmente problemas com a qualidade do seu cereal em função da neve e das chuvas que atingiram o norte do país, tornando o grão inadequado para a alimentação animal. Segundo Lichen, com o preço do milho mais baixo nos EUA alguns importadores já garantem embarques norte-americanos para entrega no final deste ano, pois a escassez do cereal pode chegar a 5 milhões de toneladas no país, ante 2 milhões de toneladas projetadas anteriormente. Nos últimos 10 dias, o Departamento de Agricultura dos EUA (USDA) informou a venda de 127 mil toneladas de milho para compradores desconhecidos. Segundo a agência, no mesmo período, empresas chinesas realizaram compras de pelo menos 120 mil toneladas do cereal nos EUA. Ainda de acordo com informações da agência Bloomberg, as compras da China podem ajudar a conter um possível declínio nos preços do milho em Chicago diante das expectativas de um recorde na produção norte-americana na safra 13/14, segundo informou o USDA na última semana.

Políticas agrárias devem chegar com mais rapidez aos agricultores

O Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) convocaram os 26 delegados federais do ministério nos estados, coordenadores do Programa Terra Legal e funcionários do quadro com o objetivo de garantir que as políticas públicas cheguem aos agricultores familiares com maior rapidez. O encontro começou na quarta-feira (27) e termina nesta quinta-feira (28). A reunião de planejamento estratégico - comandada pelo ministro Pepe Vargas - coloca em pauta as ações a serem realizadas nos estados, com a presença dos delegados, superintendentes e coordenadores do MDA/ Incra em todo o Brasil.

Conab apresenta análise de suprimentos em reunião do Ciep

A Conab apresentou o quadro atual de suprimentos de arroz, feijão, milho, soja, trigo, farinha de mandioca e carnes durante a primeira reunião do Conselho Interministerial de Estoques Públicos (Ciep), realizada na nesta terça-feira (26). A criação do Conselho foi oficializada pela presidenta Dilma Rousseff no decreto nº 7.920, publicado no DOU no dia 18 deste mês, e agora parte para a sistematização do controle de volumes para definir as condições para aquisição e liberação de estoques públicos. De acordo com o presidente da Conab, Rubens Rodrigues dos Santos, este é o início de uma participação mais efetiva da Companhia nas discussões sobre o controle do volume de alimentos e na definição de quando deve ocorrer a aquisição e venda de produtos. "Com a criação do Conselho, a Conab evolui de uma posição meramente executora e passa a ter um desempenho participativo na formulação de políticas públicas de abastecimento", afirma. A apresentação da conjuntura de alimentos foi feita pelo diretor de Política agrícola e Informações da Conab, Sílvio Porto. O evento contou com a participação do ministro da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho, presidente do Conselho, o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa, a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e representantes da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). De acordo com o decreto que institui o Ciep, a Conab faz parte do Conselho como convidada permanente, para prestação de assessoria e orientação técnica, e segue responsável pela execução das medidas. Fonte: Conab

28/02/2013 15:03

28/02/2013 15:03 Exportações mundiais de café aumentam 19,5% no mês de janeiro, diz Nesta quinta-feira (28), a Organização Internacional do Café (OIC) informou que os embarques mundiais de café registraram um aumento de 19,48% no mês de janeiro, em relação o mesmo período do ano passado. Ao todo foram exportadas 9,667 milhões de sacas de 60 kg contra 8,091 milhões de sacas em janeiro de 2012. Nos quatro primeiro meses da safra 2012/13 (outubro/12 a janeiro/13) as exportações mundiais apresentaram um crescimento em torno de 15,8%, cerca de 37,87 milhões de sacas ante as 32,69 milhões de sacas em igual período da temporada anterior. Os embarques de café arábica totalizaram 67,08 milhões de sacas, entre janeiro/12 e janeiro/13. O número representa um aumento em comparação com o volume exportado no mesmo período do ano anterior, de 66,11 milhões de sacas. Já o café arábica, no mesmo período, as exportações somaram 47,59 milhões de sacas frente as 37,68 milhões de sacas do ano passado. No início do mês de fevereiro, a Secretaria de Comércio Exterior (Secex) divulgou que as exportações de café brasileira totalizaram 2,352 milhões de sacas em janeiro de 2013. No mesmo período a receita média diária obtida com as exportações de café somou US$ 78,1 milhões. Fonte: Notícias Agrícolas // Fernanda CustódioOIC

Programa do Leite Especial Fazenda Calciolândia oferta exemplares da raça gir

Programa do Leite Especial Fazenda Calciolândia oferta exemplares da raça gir Evento terá transmissão do C2Rural no dia 17 deO C2Rural transmite simultâneamente com o Canal Rural no dia 17 de março, a partir das 9h30min, mais uma edição do Programa do Leite Especial Fazenda Calciolândia. Estarão em oferta exemplares da raça Gir, entre matrizes, novilhas e bezerras, com a Programa Leilões no comando dos negócios. Lembramos que para dar lances durante o leilão, é necessário realizar cadastro prévio no site da Programa Leilões. Acesse o site da Programa Leilões, realize seu cadastro e garanta a oportunidade de fechar bons negócios. março, às 9h30min

lMesmo com pressão dos frigoríficos, São Paulo registra negócios a R$ 100 por arroba do boi gordo

Mesmo com pressão dos frigoríficos, São Paulo registra negócios a R$ 100 por arroba do boi gordo Para completar as programações de abate a preços mais baixos, parte dos compradores tem fechado negócios nos Estados vizinhos, diz Scot ConsultoriaAos poucos, as ofertas de compra abaixo da referência ganham volume no mercado brasileiro do boi gordo. Em São Paulo, frigoríficos chegam a ofertar, sem sucesso, até R$ 94,00/arroba, à vista. A referência segue em R$ 98,00/arroba, nas mesmas condições, e, segundo levantamento da Scot Consultoria, há relatos de negócios efetuados a R$ 100,00/arroba, à vista. Grande parte dos frigoríficos que pressionam o mercado paulista compõe quase toda sua programação de abate com boiadas compradas de Estados vizinhos. As escalas evoluíram praticamente um dia nas indústrias de São Paulo. O reflexo disso pode ser visto no Mato Grosso do Sul. Em Campo Grande e em Três Lagoas, houve reajuste nos preços da arroba, cotada em R$ 91,00, à vista. Foram registrados negócios também a R$ 92,00/arroba, à vista. No mercado atacadista de carne bovina, os estoques de carne estão ajustados, com expectativa de melhoria nas vendas nos próximos dias, de acordo com os pesquisadores. Indicador do Cepea se mantém praticamente estável em fevereiro Os preços do boi gordo têm se mantido praticamente estáveis no mercado brasileiro em fevereiro. Entre os dias 20 e 27, o Indicador do boi gordo ESALQ/BM&FBovespa passou de R$ 98,10/arroba para R$ 97,95/arroba, ligeira queda de 0,16%. Segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), essa estabilidade persiste há várias semanas. Desde o início do ano, por exemplo, o Indicador oscilou entre a mínima de R$ 97,02 (em 8/01) e a máxima de R$ 98,40 (em 8/02). Em fevereiro, o Indicador acumula pequena alta de 0,23%, até o dia 27.

Syngenta obtém aprovação para lançar semente resistente a verme que atinge raiz do milho

Syngenta obtém aprovação para lançar semente resistente a verme que atinge raiz do milho Produto, que promete redução no aparecimento do besouro do verme da raiz do milho ocidental Agrisure Duracade, estará disponível para a temporada de plantio de 2014A companhia agroquímica suíça Syngenta anunciou na quinta, dia 27, que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) aprovou a semente resistente ao verme da raiz do milho ocidental Agrisure Duracade. A aprovação, segundo a companhia, permite o lançamento do produto, que contém uma proteína para controlar a praga. Conforme a empresa, dados do USDA mostraram uma redução de 10 vezes do aparecimento do besouro do verme. – A tecnologia estará disponível em um momento em que a resistência a insetos é um desafio crescente. A sua ação dupla comprovada será indispensável para a gestão eficaz de pragas do milho e aumentará a produtividade agrícola – disse o diretor de operações da Syngenta, Davor Pisk. As sementes híbridas estarão disponíveis para a temporada de plantio de 2014, de acordo com a Syngenta.

Proximidade da nova safra e ligeira alta do arábica movimentam negócios no mercado interno de café

Proximidade da nova safra e ligeira alta do arábica movimentam negócios no mercado interno de café Aproximação da data do pagamento deO mercado de café arábica esteve mais movimentado na quarta, dia 27, segundo pesquisadores do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea). A maior liquidez esteve atrelada à proximidade da nova safra e ao aumento nos preços internos. A aproximação da data do pagamento de financiamentos de produtores também influenciou o maior ritmo de negócios. De modo geral, as cotações mais baixas dos últimos meses fizeram com que cafeicultores limitassem as vendas de arábica de qualidade. Agora, a demanda é maior para cafés mais finos, mas os valores pedidos por vendedores estão acima dos ofertados por compradores, o que tem limitado os fechamentos envolvendo esses grãos. Nessa quarta, o Indicador CEPEA/ESALQ do arábica tipo 6 bebida dura para melhor, posto na capital paulista, fechou a R$ 311,53/saca de 60 kg, alta de 0,2% em relação ao dia anterior, mas recuo de 7,33% na parcial de fevereiro. financiamentos de produtores também influenciou o maior ritmo de vendas, segundo o Cepea

28/02/2013 10:50

28/02/2013 10:50 Safra mundial de algodão deverá ser 5% menor no ciclo 2012/2013 A produção de algodão em todo mundo deverá sofrer redução de 5% na safra 2013/2014 em relação ao ciclo anterior, de acordo com dados do International Cotton Advisory Comittee (Icac) divulgados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) AgroOlhar O Imea também informa que, mesmo com essa redução da área plantada, a produção de fibra ainda será maior que o consumo. As estimativas dão conta de que a produção mundial total chegará à casa dos 26 milhões de toneladas, enquanto o consumo deverá ficar em torno dos 23 milhões de toneladas. Assim, os estoques mundiais aumentariam para 16,7 milhões de toneladas finalizada a atual safra. Os estoques abarrotados é que têm pressionado os preços da pluma para baixo. “Essa situação deve se inverter na próxima temporada, quando a produção tenderá a ser 4% inferior ao consumo, reduzindo assim os estoques de passagem para 15,9 milhões de toneladas”, consta de boletim do Imea. Segundo o instituto, Estados Unidos e China já sinalizaram uma redução da área na próxima safra, assim como Brasil e Austrália também deve plantar uma área ainda menor na safra 2013/2014.

28/02/2013 10:40

28/02/2013 10:40 Estudo de processamento de milho para farelo e etanol é analisado pelo Mapa Grupo busca incentivos específicos para a atividade com o objetivo de aproveitar o excedente da produção da cultura para incremento em outras ramificações, sobretudo no estado de Mato Grosso A busca de linha de financiamento específico para o beneficiamento e industrialização de plantas para produção de farelo e etanol provenientes do milho foi encaminhada pelo consultor na área do agronegócio e presidente-executivo da União Brasileira do Biodiesel (UBRABIO), Odacir Klein, ao ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho. A audiência para debater o assunto ocorreu nesta quarta-feira, 27 de fevereiro, na sede do ministério, em Brasília. O ex-ministro Klein, junto com um grupo de especialistas da iniciativa privada, busca incentivos específicos para a atividade com o objetivo de aproveitar o excedente da produção da cultura para incremento em outras ramificações, sobretudo no estado de Mato Grosso. A expectativa para a atual safra é de 76 milhões de toneladas de milho. A exemplo do Biodiesel implantado no Brasil e da experiência norte-americana, o potencial produtivo processado nas unidades em comparação com outras culturas apresenta ganhos superiores, segundo amostragem técnica apresentada na reunião, que contou ainda com a participação do secretário de Política Agrícola (SPA/Mapa), Neri Geller, e do secretário de Produção e Agroenergia (SPAE/Mapa), Gerardo Fontelles. Durante o encontro foi lembrado que uma tonelada de milho atinge 420 litros de etanol, 317 quilos de farelo, além de outros componentes e derivados de óleo. O ministério acenou com a possibilidade de intermediar junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) uma nova linha de crédito para esta finalidade. Agregar o valor de produção do milho é uma das prioridades do projeto. Além disso, as unidades de processamento também estão planejadas para adaptação e aproveitamento de sorgo – mais resistente à seca. Atualmente, as indústrias estão preparadas apenas para o processamento de farelo de soja. O custo de investimento para unidade está estimado em R$ 230 milhões, com a expectativa de retorno do capital empreendido em torno de 5,2 anos. Para Mendes, é preciso aproveitar o potencial do milho como mais uma alternativa para o produtor. Já o secretário Geller explica que o Brasil tem potencial para garantir uma performance sustentável e com menor custo. O assunto sobre aproveitamento e abastecimento de grãos no país – especialmente o milho –, já havia sido colocado em discussão durante a reunião do Conselho Interministerial de Estoques de Alimentos (Ciep) pelos ministros Mendes Ribeiro, Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Pepe Vargas (Desenvolvimento Agrário) e o ministro interino Nelson Barbosa (Fazenda). Ainda que a atual produção priorize à produção de alimentos, foi considerado para o excedente um potencial estratégico para utilização de etanol, consumo animal e humano.